• Background Image

    Artigos

    dividendos

março 19, 2015

Investir em ações é arriscado? Descubra como investir com maior retorno e menor risco!

Você provavelmente já viu algum amigo ou parente seu comentar que o mercado de ações é um investimento de alto risco, onde apenas gente com muito dinheiro acaba sendo bem sucedida?

Bem, eu também já escutei o mesmo (e diversas vezes)! Agora, duas verdades que eu descobri ao longo de minha experiência:

A) Investir é muito mais simples do que a maioria imagina…

B) O risco de investir em ações depende muito de como você faz seus investimentos…

Aliás, o investidor com uma estratégia inteligente de investimento em ações não apenas consegue reduzir em muito o risco das oscilações de preços do mercado de ações (a famosa volatilidade), como também ganhar rentabilidades superiores a da poupança…

Foi por isso que gravei esse vídeo: nele eu comento, com um exemplo prático, como você também pode fazer o mesmo…

Lembre-se de assinar agora o canal no youtube para não perder nenhum vídeo com dicas e sacadas de ações e investimentos!

Também aproveite e deixe seu comentário aqui abaixo dizendo o que achou dessa sacada do vídeo! Abraço,

Lucas

 

[TRANSCRIÇÃO]

Olá, aqui é o Lucas Andrade, fundador do investidorinteligente.com, e hoje eu estou aqui gravando esse vídeo para compartilhar com você uma sacada de investidor. E qual é o motivo de eu estar gravando esse vídeo? Qual é a origem dessa sacada?

A origem dessa sacada é a seguinte: sempre quando eu encontro muitos amigos, muitos conhecidos, muitos deles me perguntam, “Lucas, qual é a ação para eu comprar agora? Qual é a ação que vai subir, qual é ação que vai cair? Me conta o que você sabe!”.

E eu sempre fico perguntando, pensando “poxa vida, por que as pessoas têm essa crença de que existe ação certa e momento certo para se comprar uma ação?”.

É comum a gente escutar todo mundo falando “compra na baixa, vende na alta”, mas na realidade essa pergunta, essa forma de se compreender a bolsa de valores pode na verdade estar por trás daquilo que é um limitador para você ser bem-sucedido de fato investindo em ações.

E eu falo isso mesmo com base na minha experiência de mercado financeiro, onde eu aprendi que não é essa a questão central, o cerne da questão. E então aí é que está a origem da minha sacada.

Vendo os resultados que estão saindo agora, essa semana, de diversas empresas que estão divulgando seus resultados para o mercado do último trimestre do ano passado, e isso acontece todo ano, todo trimestre as empresas da bolsa de valores são obrigadas a declarar, a mostrar seus resultados para os seus investidores.

Agora então, no começo desse ano, nesse mês de fevereiro, algumas empresas estão começando a divulgar seus resultados já do quarto trimestre de 2014. E então, um dos resultados chamou particularmente a minha atenção, e também a atenção do mercado, dos analistas, já que os resultados dessa empresa vieram muito acima mesmo das expectativas que os analistas tinham para o lucro daquela empresa.

E essa empresa que divulgou seus resultados e teve um resultado recorde foi a BB Seguridade. A BB Seguridade é uma companhia que inclusive lançou suas ações na bolsa há pouco tempo, o código dela se você quiser olhar é BBSE3, e a BBSE, a BB Seguridade é a empresa de seguros do Banco do Brasil. E qual que é o grande diferencial dessa empresa?

Eu já vou comentar pra vocês, mas para vocês verem o potencial que é uma empresa bem gerida com um modelo de negócios sólido, o resultado que a BB Seguridade acabou de divulgar, nessa semana passada, foi de 1,1 bilhão de reais de lucro somente no último trimestre de 2014.

E no ano completo de 2014 o resultado foi de mais 40% de crescimento e 3,5 bilhões de reais de lucro líquido. 40% de crescimento, isso num ano em que a gente sabe, a economia brasileira estava desaquecendo, ainda está, com inflação alta, redução do consumo, e como que isso é possível? Isso é possível porque a BB Seguridade é uma empresa que tem tido uma forte vantagem comparativa, como nós dizemos, em relação ao seu modelo de negócio, como ele é formado.

Qual é o grande diferencial da empresa? Qual é essa vantagem comparativa dela?

É principalmente que a maior parte das vendas do Banco do Brasil, dos planos de capitalização, dos planos de previdência que eles vendem, vem originalmente das redes, das agências bancárias.

Mais de 50% das vendas vêm das próprias agências do Banco do Brasil. Isso dá uma grande capacidade de capilaridade, de distribuição de venda desses planos de seguro.

Então, por que eu estou falando isso? Porque esse lucro se resume em distribuição de lucros aos acionistas também.

Todo acionista quer ter lucro. Então, junto com essa divulgação de resultado, a BB Seguridade também divulgou o dividendo que ela vai distribuir aos seus acionistas. E ela anunciou a distribuição de R$ 1,38 por ação de dividendo durante todo esse ano de 2014, considerando que ela vai distribuir no quarto trimestre.

E esses R$ 1,38 de dividendos distribuídos aos acionistas representa o que? Ele representa, veja bem, se você tivesse comprado a ação no ano passado, a 23 reais, que era o que ela valia na época na bolsa, esses R$ 1,38 equivaleriam hoje a uma rentabilidade de praticamente 6%, pra você investidor, somente em dividendos.

Então, vejam bem, 6% é praticamente o resultado da poupança, e assim, a bolsa de valores, só pelo dividendo que uma boa empresa pagadora de dividendos é capaz de gerar ao seu acionista, já bate praticamente o investimento que é considerado aquele investimento mais seguro e conservador por todos os brasileiros.

Além disso, veja bem, você também tem, como acionista, a capacidade, ou melhor dizendo, a potencialidade da valorização da ação, que nesse período se valorizou em mais de 30%. Hoje o banco BB Seguridade está valendo 30 reais, praticamente, na bolsa de valores.

Então, além do rendimento dos dividendos, você tem também o rendimento da valorização da ação. Se a empresa está gerando resultado positivo, é uma empresa que tem capacidade, um modelo de negócios que tem a capacidade de gerar lucros, ela deve valer mais, então a sua ação também tem que se valorizar.

Então, eu volto àquela questão original que deu origem a essa sacada: existe momento certo para você comprar ou vender aquela ação? Existe, dependendo da estratégia que você pode tomar, mas será que essa é a pergunta que você deve fazer?

E aí eu jogo outra pergunta pra você responder e para que você responda a si mesmo e pense: você vê a bolsa de valores como uma oportunidade para você ser um investidor ou você vê a bolsa de valores como uma oportunidade para você ser um especulador? Essa pergunta pode separar você do fato de ser um investidor com resultados consistentes e seguros e um investidor vencedor na bolsa; de um investidor que sempre está correndo atrás da próxima onda mas sempre está, parece que, atrás da onda, nunca consegue pegar a onda e sempre está perdendo dinheiro, que é o que acontece com a maioria das pessoas.

Então, é preciso pensar: a bolsa de valores, ela é arriscada? Eu digo pra você, ela não é arriscada dependendo da resposta que você dê a essa pergunta.

A forma como você investe e você avaliando as empresas e sabendo simplesmente escolher as empresas que têm bons modelos de negócio e capacidade de geração de lucros, a bolsa é uma opção extremamente segura e, como eu acabei de mostrar aqui para vocês, o próprio resultado da BB Seguridade comprova isso.

Então, essa era a sacada que eu queria compartilhar com vocês e eu queria também perguntar a sua opinião, se você achou que essa sacada foi boa, e queria também te convidar a deixar aqui embaixo seus comentários para dar sua opinião, eventualmente até uma dúvida que você tenha, para que eu possa talvez responder num próximo vídeo.

E se você gostou, se inscreve aqui no canal clicando na Lâmpada do investidor para você acompanhar os novos vídeos que eu vou fazer regularmente, com sacadas de investidor pra você, tentando passar um pouco da minha experiência no mercado financeiro para te ajudar a ter resultados na bolsa de valores nos seus investimentos.

Obrigado e eu te vejo então num próximo vídeo!

março 19, 2015

Um guia prático para entender a Bolsa de Valores em 10 simples passos – Garantido!

Um tempo atrás um amigo meu comentou que não sabia como investir na bolsa de valores ou outros investimentos, além da poupança, porque não conseguia entender nada desse mercado…

Afinal de contas, dizia ele: “nunca consigo entender nada desses termos complicados que esses analistas e economistas falam por ai!”.

E imagino que você muitas vezes tenha a mesma sensação… Aliás, eu também me sentia exatamente assim quando comecei a me interessar por investimentos.

Apenas mais tarde, após estudar Economia e trabalhar no mercado financeiro é que puder compreender um FATO:

O mercado financeiro usa sim muitos termos especializados, mas não tem NADA (!) de complicado ou misterioso no que essas palavras significam…

Muito pelo contrário!

Elas são muitas vezes palavras sofisticadas (muitas em inglês) que expressam idéias e conceitos MUITO SIMPLES!

É só porque usamos esses termos desde tanto tempo e tão frequentemente no mercado que acabamos assumindo que todos os compreendem perfeitamente (o que, obviamente, não é verdade!).

A culpa não é sua.

É, na realidade, um grande erro nosso, das escolas financeiras, corretoras e bancos.

Por que? Simplesmente porque, se as pessoas não entendem o que são ações, elas provavelmente não poderão investir seu dinheiro nelas!

Ou ainda pior que isso…

Se as pessoas não investem seu dinheiro em ações ou outros investimentos, as empresas brasileiras (e até os governos) não terão o dinheiro necessário para expandir seus negócios com novos produtos, serviços e empregos!

Quem de nós não quer ter um carro melhor e mais barato, uma bela casa, novos equipamentos e máquinas que poupem nosso esforço e tempo diário?

O fato é que todo o capital necessário para promover o desenvolvimento de toda uma nação só pode vir de um único lugar: as pessoas! Não apenas as pessoas com grandes fortunas – aliás, existem poucas delas hoje –  mas sim de milhões de pessoas juntas!

E isso é justamente a bolsa de valores: um mercado como qualquer outro, onde milhares de indivíduos podem comprar pequenas participações em grandes empresas e negócios!

E você também pode ver isso por um lado mais pessoal.  Você quer ou não quer investir o seu suado dinheiro onde possa ter o melhor e mais justo retorno possível?

Agora, se você não tem familiaridade com ações e títulos você provavelmente não poderá investir seu dinheiro neles!

Sem dizer que, se você não entender nada sobre investimentos pode acabar sendo iludido pelas várias fórmulas do tipo “fique rico rápido” existentes por ai hoje em dia…

Por todas essas razões é que você deveria saber o máximo possível sobre todo esse negócio de ações e investimentos.

Então, por onde começar?

Certamente não deve ser pelos termos difíceis que você lê nos noticiários, sites e corretoras. Esse artigo é justamente como um guia da bolsa de valores: como começar a entender de forma rápida e simples os termos mais comuns do mercado de ações para você poder começar a investir!

Algumas coisas podem soar talvez soar óbvias, e de fato são!

Mas o fato é que entendendo de forma clara a base de tudo, o restante será também elementar…

Afinal, como diria Albert Einstein:

Qualquer tolo inteligente pode fazer as coisas grandes e mais complicadas… Ir na direção oposta requer um toque de genialidade e muita coragem…

Albert Einstein

1. O que são ações?

stock

Uma ação representa uma propriedade sobre uma parcela de uma companhia.

Se você tem uma ação da Ambev, por exemplo, tem direito a um pedaço de tudo daquela empresa: suas fábricas, suas cervejas estocadas, caminhões, tudo que aquela empresa tem.

Inclusive sobre uma parcela de seus lucros, como irei falar mais adiante nesse artigo.

Uma ação é a menor parcela do capital de uma empresa, por isso dizemos que esse é o mercado de capitais…

Se uma empresa tem 1.000 ações e você possui 1 ação, então terá o equivalente a 1% da empresa!

Algumas empresas tem poucas ações e apenas alguns donos, enquanto outras grandes empresas tem milhões de ações e donos, ou acionistas.

 

2. Por que alguém deveria comprar ações?

dividend

Exatamente pela mesma razão que alguém entraria em um negócio qualquer: ganhar dinheiro.

Se você tem 1% das ações de uma empresa, você tem o direito também de receber 1% do lucro líquido das operações da empresa!

Em geral, uma parcela dos ganhos de uma empresa são distribuídos para você e outros acionistas como dividendos.

O restante dos lucros é reinvestido no próprio negócio, para a empresa expandir suas atividades e… gerar mais lucros futuros!

Exatamente: mais lucros para você e outros donos!

 

3. Quanto se ganha com dividendos?

dividends

O valor dos dividendos varia de empresa para empresa e do quanto aquela empresa gera de lucros.

Algumas companhias distribuem uma parcela substancial dos seus lucros, enquanto outras (especialmente aquelas que estão em forte expansão) acabam reinvestimento a maior parte dos lucros de volta no seu negócio. Algumas outras, ainda, não pagam dividendos.

Hoje, na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), praticamente 70% das empresas pagam dividendos.

Se pegarmos todas essas empresas, veremos que em média os dividendos representam algo como 7,5% do preço que as ações estão sendo negociadas.

O que isso quer dizer?

Veja um exemplo: se você comprar uma única ação que custe R$10, você ganhará R$0,75 em dividendos. Então, dizemos que essa ação tem um dividend yield de 7,5% ao ano. Em outras palavras, você recebe 7,5% do preço que paga por elas na forma de dividendos.

A maior parte das companhias pagam dividendos regularmente, todos os trimestres do ano – às vezes algo como 1-2% no trimestre. É o caso de empresas como Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Souza Cruz…

Todas as empresas de capital aberto (com ações na bolsa) tem um conselho de administração, onde seus diretores irão decidir quando e quanto pagar de dividendos.

Esses diretores são seus representantes.

Você e outros acionistas é que os elegem. Ordinariamente, você tem um voto para cada ação que possui.

O presidente da companhia e outros executivos são responsáveis pela gestão da empresa perante os diretores desse conselho.

 

4. O que determina o preço de uma ação?

412d1ac78b6da9a0810cc87facc4737a

O preço de uma ação, da mesma forma como os alimentos em uma feira, depende do quanto os compradores estão dispostos a pagar para ter aquela ação e do quanto aqueles que já têm a ação estão dispostos a receber para vendê-la.

E, por outro lado, também do quanto aqueles que querem ter a ação estão dispostas a pagar para isso. 

Quando uma empresa lança ações no mercado pela primeira vez, vendendo uma parcela do seu negócio para investidores para conseguir dinheiro para financiar seu crescimento, seu preço é estabelecido através de um estudo prévio feito por um banco de investimento.

Uma vez que a ação já é negociada na bolsa, seu preço não é mais fixado por ninguém nem nenhuma agência. É livremente definido pela sua oferta e demanda.

O mercado funciona, de certa forma, como um leilão: leva as ações quem faz a melhor oferta naquele momento!

É por essa razão que o preço das ações sobem e caem –  muito rapidamente às vezes.

Uma coisa importante aqui é entender que muitas pessoas compram ações não porque queiram dividendos da empresa. Muitas delas apenas pensam que o preço daquela ação irá subir e, assim, poderão vender mais tarde com algum lucro.

Por exemplo, alguém compra hoje uma ação das Lojas Americanas por R$15 e, daqui alguns dias, a vende à R$17. Nesse caso a pessoa vendeu por um valor acima do preço de compra e embolsou um pequeno lucro!

Embora não seja essa a estratégia de investimento que eu recomendo, é preciso reconhecer que a presença desses chamados especuladores é importante para o mercado como um todo, pois eles contribuem para gerar um bom volume de negócios (os economistas dizem “liquidez”) no mercado.

Assim, sempre que precisar ou quiser vender suas ações (ou então comprá-las), haverá alguém disposto a vender por algum preço!

Portanto, esse é um negócio arriscado para qualquer pessoa que não possa suportar uma perda temporária do seu dinheiro, visto que ações podem cair e subir.

Ninguém nunca sabe com total certeza o que acontecerá com o preço de uma ação.

Agora, existem formas e estratégias para investir que fazem com que esse risco seja menor. De que forma? Isso seria motivo para um outro artigo, mas em suma é o seguinte: reduzindo suas probabilidades de perda  e potencializando ao máximo suas probabilidades de ganho.

A principal forma de se fazer isso é investindo em ações que tenham um valor intrínseco do seu negócio superior ao preço pelo qual a empresa está sendo negociada na bolsa de valores.

Essa é a base do Investimento em Valor (ou Value Investing) praticado por alguns dos maiores investidores de todo o mundo: Benjamin Graham, Philip Fischer, Warren Buffett, Charlie Munger, Seth Klarman, Mark Mobius, Jorge Paulo Lemann, entre tantos outros.

 

5. O que são ações preferenciais?

commvspref

Em geral, além das ações ordinárias que vimos acima (com poder de voto), muitas empresas têm as chamadas ações preferenciais.

Elas são preferenciais porque os acionistas desse tipo de ação recebem os dividendos antes dos acionistas ordinários receberem qualquer coisa.

Elas também levam esse nome porque, no caso de uma empresa ser liquidada (falência), os preferencialistas levam preferência na distribuição dos ativos restantes após a liquidação das dívidas com os credores da empresa.

Tais ativos são os bens da empresa que podem ser convertidos em dinheiro.

Por tais razões, as ações preferenciais costumam ter um prêmio em relação ao preço das ações ordinárias (além das suas oscilações de preços serem menores).

Embora ambas ações ordinárias e preferenciais confiram título de propriedade sobre uma companhia, as preferenciais não permitem poder de voto ou influência na gestão da empresa.

Na Bovespa ações ordinárias (ON) são negociadas com o número 3 após o código da ação. Por exemplo, as ações da Petrobras PETR3.

As ações preferenciais (PN) são negociadas com o número 4, como por exemplo as ações da Petrobras PETR4.

Embora pouco usual, existem outros números que indicam classes especiais de ações. O número 11, como a SULA11 por exemplo, indica  uma unit, que nada mais é que uma combinação de ações PN e ON da Sulamérica Seguros.

 

6.Quanto uma ação deve valer?

850_400_valor-de-uma-empresa-como-calcular

Como falamos anteriormente, o preço de uma ação depende do quanto as pessoas estão dispostas a pagar por ela.

E o quanto estão dispostos a pagar é determinado em grande medida por um único fator: seus lucros (sendo ainda mais específico, sua geração de caixa!). 

Isso inclui o que a companhia ganhou no passado, está ganhando no presente e, ainda, o quanto poderá ganhar no futuro.

Então é aqui que começa a entrar a arte do negócio: não é apenas uma questão de números, mas também de fatos, conhecimento e julgamento.

O quão bem administrada é a empresa? Seus produtos são bem reconhecidos e consumidos regularmente? Depois de pagar seus custos e despesas financeiras, sobrará dinheiro para seus acionistas?

Essa forma de análise é chamada de bottom-up, ou seja, ela parte de dentro da empresa (nível mais baixo) para depois chegar ao setor (nível superior).

Agora, o setor em que ela atua tem uma competição muito acirrada? Ela está em condição mais ou menos vantajosa? Existe alguma regulamentação? O custo de mão-de-obra ou matérias-primas irá afetar os lucros desse setor?

Essa outra forma de analisar é conhecida como top-down, ou seja, ela parte do geral (setor) para o nível específico (empresa).

Essas são algumas das questões que todo investidor inteligente deve responder para buscar formar uma opinião sensata do que uma empresa potencialmente deve valer… no futuro!

Isso não quer necessariamente dizer que você precisa adivinhar o futuro. Muito pelo contrário! O sucesso dos grandes investidores está em reduzir os riscos e maximizar os ganhos, escolhendo aquelas empresas com maior potencial de geração de valor consistente para seus acionistas e a preços atrativos.

As condições econômicas e as estratégias de gestão das empresas estão sempre mudando e, por isso, também o valor das companhias.

É por essa razão que o investidor deve sempre investigar e depois investir… E continuar investigando, sempre!

7. Então, como funciona a bolsa de valores na prática?

size_810_16_9_BOVESPA

Você pode não concordar com o preço pelo qual uma ação está sendo negociado. Talvez acredite que ela deva valer menos ou mais.

O quanto uma ação deve valer é em larga medida uma questão de opinião pessoal.

Agora, o preço pelo qual ela é negociada é o resultado da soma de milhares de julgamentos de diferentes pessoas no mercado, que estão comprando e vendendo conforme sua percepção de valor.

Se um grande número de pessoas acharem todas ao mesmo tempo que uma ação está muito cara, elas podem decidir vender e, muito provavelmente, os preços cairão.

Ou então, se acreditarem que uma ação está com preços muito baixos e decidirem comprar, suas ordens de compra conjuntamente farão o preço subir.

As pessoas estão atualizando suas expectativas diariamente, conforme novas informações vão surgindo e a realidade mudando.

É por esse motivo que todos os dias centenas de ações na bolsa de valores estão subindo ou caindo. Em alguns casos elas podem ter altas expressivas e, em outros, baixas expressivas.

São exatamente essas oscilações de preços que permitem as grandes oportunidades de investimento para os investidores de valor e…. também para os especuladores!

Quando ocorre um acentuado movimento de preço, muitas vezes é normal que ele continue naquela direção por um tempo. Isso ocorre porque o próprio movimento dos preços atrai outros compradores ou vendedores.

Por exemplo, quando as ações da Vale sobem de R$18 para R$20 em um dia, outros compradores também podem achar que seja um bom momento de compra. Então, com novas pessoas comprando, a ação sobe para R$22. Os que compraram primeiro acabam realizando a venda e lucrando R$4 por ação.

Muitas vezes as ações seguem uma tendência de alta ou baixa por um longo período de tempo.

 

8. O que é o bull e bear market?

Bulle_und_Bär_Frankfurt

Algumas vezes muitas pessoas começam a ter uma percepção mais positiva do panorama geral de negócios da economia. Elas começam a acreditar que é um bom momento para investir em ações!

Não apenas algumas ações específicas, mas todas as ações. Isso significa que todas essas pessoas irão começar a comprar ações e acabarão por aumentar o preço médio da maioria das ações da bolsa.

É um efeito da maior demanda: mais gente querendo comprar e, ao mesmo tempo, um número definido de ações. Os preços sobem! Simples assim.

Se o aumento do preço é considerável e essa tendência perdura por um período de tempo mais longo, então temos um mercado de alta: o chamado bull market.

Por que bull market? Do inglês, bull faz referência ao touro, que ataca com seu chifre no sentido de baixo para cima. Por isso o mercado de alta.

E o bear market? É exatamente o oposto. Do inglês, bear faz referência ao urso, que ataca sua presa de cima para baixo. É o mercado de queda.

Assim, usamos muito o termo bearish ou bullish para dizer se um mercado é altista ou baixista.

É uma forma simplista de dizer como o mercado como um todo está se movendo: para cima ou para baixo?

Os jornais costumam quase que diariamente informar o preço médio de um grupo de ações mais negociadas. Essa média do desempenho de um grupo de ações é exatamente o índice Bovespa (Ibovespa).

Vale a pena notar que mesmo em um mercado em baixa podem existir ações com um desempenho positivo (superior à média do mercado).

Ainda mais: é no mercado de baixa que podem surgir as verdadeiras barganhas que farão conseguir grandes ganhos!

Os grandes investidores como Warren Buffett, Charlie Munger, entre outros, aproveitam justamente esses momentos para comprar ações mais baratas do que nunca!

9. Quando você deve exatamente comprar ou vender suas ações?

Wall-Street-Money-Never-Sleeps-Movie-Review-4

Decidir quando comprar ou vender é, em geral, sempre tão importante quanto decidir o quê comprar e vender.

Esse aspecto do tempo certo é particularmente mais importante para os especuladores.

Lembrando, os especuladores do mercado são aqueles que decidem comprar uma ação esperando que seu preço suba, ou vendem esperando que seu preço caia – e assim esperam obter um lucro na operação em um curto período de tempo.

Especuladores não compram ações como um investimento pelos dividendos ou qualidade da empresa, mas tomam riscos em troca de retornos rápidos.

Eles são importantes para o mercado, pois garantem que o mercado tenha boa negociabilidade. Imagine que você acredite que uma empresa não tenha uma boa perspectiva futura.

Eventualmente você não consiga achar pessoas dispostas a pagar um preço justo pela sua ação não fossem os especuladores dispostos a assumir um risco que você não estaria disposto!

Em geral especuladores são profissionais do mercado. Ninguém deve especular, ao menos que tenha capacidade para tomar risco de forma consciente e arcar com eles!

Agora, é claro que todos investidores também querem sempre que possível comprar no menor preço e vender no maior possível.

É por esse motivo que o investidor inteligente deve sempre estar investigando os mercados e as empresas. Observando seus resultados financeiros. Dessa forma, o investidor aumentará suas chances de comprar barato e vender caro, reduzindo seus riscos e ganhando além dos dividendos, também com a valorização de uma ação.

Uma dica prática é que se você possui uma ação que subiu muito de tal forma que não consideraria compra-la agora, talvez essa seja a hora de vende-la.

E como você teria certeza de que não consideraria compra-la agora novamente?

Existe aqui um conceito importante que faz muita diferença e é pouco percebido pela maioria dos investidores: o custo de oportunidade.

Será que não existem outras empresas com fundamentos positivos, mais baratas e que apresentem maior rentabilidade de dividendos e maior potencial de valorização que a sua antiga ação?

 

10. Como e onde as ações são negociadas?

pregao-eletronico-da-Bovespa-size-598

Originalmente a bolsa de valores era uma mercado físico mesmo, localizado no centro financeiro do país: São Paulo. Digo originalmente porque hoje era um ambiente onde pessoas ficavam comprando e vendendo, como qualquer mercado.

Hoje, ele é totalmente eletrônico. O antigo e épico pregão “viva-voz”, com os corretores gritando em seus telefones, é uma figura do passado!

As maiores e melhores empresas vão a esse mercado ofertar para você e eu ações de seus negócios. Em troca, recebem dinheiro, que será investido na expansão de suas atividades.

Em termos organizacionais a bolsa nada mais é que uma sociedade de corretoras membros desse mercado. É por meio delas que podemos enviar ordens de compra ou venda de ações e outros títulos.

Existem diversos tipos de títulos, como ações, debêntures (títulos da dívida corporativa de uma empresa), moedas, mercadorias, taxas.

Todos eles possíveis de serem negociados na BVMF&Bovespa, a Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo, uma empresa privada que administra esse mercado e toda sua negociação.

As corretoras, por sua vez, recebem comissões pelo serviço de corretagem para operação realizada. Apenas elas tem permissão para negociação nesse mercado.

Qualquer pessoa pode hoje investir em ações sem sair de casa através do seu home broker. 

Nada mais que uma plataforma online (como um website) onde você poder ver os preços das ações e decidir em apenas alguns cliques quais comprar e quais vender.

Toda atividade de compra e venda na Bolsa acontece entre as 10:00 e as 17:00 do horário de Brasília (horário esse que é atrasado em uma hora durante o horário de verão).

A Bovespa foi fundada em 1890 como uma instituição voluntária associada à Secretaria de Finanças do Estado de São Pulo. Mais tarde, com a reforma do sistema financeiro nacional, tornou-se uma associação sem fins lucrativos.

Em 2008 surge a BVMF&Bovespa, com a integração da BM&F e Bovespa, tornando-se a única bolsa de valores do Brasil. Na BM&F eram negociados mercadorias como café, ouro, contratos de câmbio e juro, entre outros. A Bovespa, a tradicional Bolsa de Valores de São Paulo.

 

Conclusão: Quem pode ou deve comprar ações?

bmf_bovespa

Qualquer pessoa pode comprar ações! Digo mais: qualquer pessoa responsável e que seja uma pessoa inteligente deveria investir em ações.

Por que?!

Para entender disso quero fazer uma pergunta: você já se questionou recentemente do preço caro das coisas? Ou ainda, já pensou: “Fulano é rico, pois é dono da empresa Y”?

Investir em ações permite a você se tornar sócio das grandes companhias e lucrar com o crescimento delas. Mesmo que você não seja um empreendedor, um milionário, ou alguém que entenda de finanças.

Se por um lado o preço da cerveja aumenta, por outro você pode ser acionista da Ambev e receber parte de seus lucros. Imagine quanto não poderia ter ganho nesses anos todos, desde quando a Antarctica se juntou à Brahma?Ou desde quanto a Sadia se juntou à Perdigão formando a Brasil Foods (BRF)?

Muitas pessoas cometem o erro de achar que o mercado de ações é um negócio apenas para afortunados!

NÃO, simplesmente não é!

Se eu próprio comecei comprando uma única ação do Banco Itáu, por que você também não pode começar?

Independente do quanto dinheiro você tenha, é possível investir em ações. As corretoras têm desde pessoas que negociam apenas algumas poucas centenas de reais até aquelas que negociam alguns milhões.

Agora, não é qualquer um que deve investir em ações.

É recomendado que você apenas invista sua poupança excedente que não irá fazer falta no futuro imediato. Investir em ações requer que você tenha de suportar algumas perdas momentâneas em muitos momentos.

 

Parece Interessante?

É claro que essa não é a história completa de como comprar e vender ações. Isso iria tomar muitas outras páginas!

O propósito desse artigo foi responder às perguntas mais comuns que costumo receber de amigos e pessoas interessadas nesse negócio de como investir na bolsa de valores.

Existem outras muitas coisas que não disse aqui, por uma questão prática de tamanho e usabilidade.

Por exemplo, operações do tipo “short-selling” permitem ganhar com a baixa das ações, vendendo-as em um primeiro momento na crença de que ela irá cair para, depois então, poder compra-la novamente mais barato.Ou ainda termos como “direitos”, “ex-dividendo”, “split”, “ordem de stop”, entre tantos outros.

Em geral, tais termos e procedimentos não são realmente importantes para a maioria dos investidores, embora terei satisfação em poder explicar qualquer um deles caso queira saber mais!

O propósito do Investidor Inteligente é levar para você os fatos e verdades sobre o mercado de ações de forma simples, prática e totalmente gratuito.

Se você quiser aprender comigo irei te contar como nós pensamos todos esses fatos e números em termos das melhores estratégias para seus investimentos em ações.

Agora, no final das contas a decisão é sua.

Para isso, deixe o seu e-mail aqui abaixo para receber em primeira mão meu Manual do Investidor Inteligente com sacadas únicas para você realmente começar a fazer investimentos sólidos e lucrativos!

Esse é um manual que escrevi baseado nas idéias do famoso investidor Warren Buffett, gestor da Berkshire Hathaway.

E deixe seu comentário dizendo se esse artigo ajudou você a entender melhor sobre esse negócio simples e que parece tão complicado!

Você acrescentaria algo ou gostaria de saber algo a mais?